Descubra como se dar bem na redação do ENEM com essas dicas!

Hoje você vai saber tudo sobre redação Enem, como fazer uma redação do Enem nota 1000, quais são as competências da redação do Enem, quanto vale a redação do Enem, alguns temas de redação do Enem, qual é a estrutura da redação do Enem, quantas linhas tem a redação do Enem, como é a redação do Enem, como fazer a redação do Enem, critérios de correção do Enem, como tirar nota 1000 na redação do Enem e ainda muitas dicas para redação do Enem! Acompanhe no texto a seguir:

Como fazer uma redação do Enem nota 1000

Quando você começa a se preparar para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é importante saber que fazer uma boa redação, pois esta terá um grande grande peso na sua nota final. Se você tem dúvida sobre quantas linhas tem a redação do Enem, fique sabendo que o total é de no máximo 30 linhas de texto e, no mínimo, sete linhas. Menos que isso também acarretará em um zero na sua redação.

Portanto, é bom que você conheça os critérios de correção do Enem, e no caso da redação é importante que você saiba que ela é corrigida por dois corretores de forma independente. Dessa maneira, cada um deles atribui uma nota entre 0 e 200 para cada uma das cinco competências abaixo:

  1. Uso correto do Português;
  2. Compreender e Desenvolver o Tema no estilo Dissertativo-Argumentativo;
  3. Defender seu Ponto de Vista com argumentos;
  4. Demonstrar capacidade de argumentação;
  5. Elaborar a Proposta de Intervenção.

A seguir vamos detalhar cada uma dessas competências:

1 – Uso correto do Português

Mesmo que a prova de língua portuguesa do Enem e dos grandes vestibulares do Brasil reconheça e defenda a diversidade linguística da nação, a redação deve ser escrita de acordo com a norma formal da língua portuguesa. É nessa competência que é avaliado se você aplica corretamente as regras gramaticais na construção de um texto, que deve ser fluido, coeso e com bom vocabulário. Aqui também será avaliado o domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Portanto, desvios gramaticais ou de convenções da escrita serão aceitos somente em casos excepcionais e quando não caracterizarem reincidência.

2 – Compreender e Desenvolver o Tema no estilo Dissertativo-Argumentativo

É nessa competência que será avaliado se você identificou o tema corretamente e soube desenvolver argumentos que dão consistência à tese defendida. Em geral, podemos dizer que o tema é um recorte de alguma questão mais abrangente, e você precisa ficar atento para não fazer um texto que apenas tangencie ou fuja da proposta de fato. É preciso ficar atento ao fato de que o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) ressalta que os textos motivadores servem para ajudar o candidato no desenvolvimento da sua própria argumentação. Assim sendo, é nessa competência que também é avaliado o seu repertório sociocultural, ou seja, a capacidade de mobilizar outras áreas do conhecimento para a construção da tese defendida.

3 – Defender seu Ponto de Vista com argumentos

Nessa competência é levada em conta a opinião desenvolvida no texto, que será avaliada também de acordo com a coerência dos argumentos escolhidos por você. Portanto, o Enem vai avaliar a qualidade dos argumentos escolhidos e da própria argumentação, ou seja, a forma como as diferentes partes do texto se juntam e os sentidos estabelecidos entre elas. Dessa maneira, destacamos que essa coerência entre as várias partes do texto mostram para o avaliador que você planejou o texto e pensou numa ordem lógica de informações relevantes para o desenvolvimento da tese. Por isso, fazer um projeto de texto antes de escrever a redação é essencial para estabelecer essa estrutura lógica, e além disso, vai te dar segurança sobre o caminho a percorrer na hora de escrever de fato o texto do enem.

4 – Demonstrar capacidade de argumentação

Nessa competência o Enem ainda avalia a forma como você encadeia o texto e a forma que você escolheu para dar coesão a essas ideias. Assim sendo, essa coesão deve ser feita pelo uso de conectivos que estabeleçam claramente o sentido entre as frases e parágrafos. Dessa maneira, esses conectivos são as escolhas de preposições e conjunções que vão deixar claras as intenções das partes do texto: se fazem oposição entre si, se são complementares, se são iguais, se concluem uma ideia, entre outros. Portanto, ter um bom repertório dessas escolhas ajudará a aumentar a nota dessa competência.

5 – Elaborar a Proposta de Intervenção

Por fim, e como conclusão também na prova de redação, você precisa fazer uma proposta de intervenção para o problema identificado e que se conecte com os argumentos usados ao longo do texto. Mas fique atento pois é necessário respeitar aos direitos humanos na proposta. Soluções que ferem esses direitos, como incitação à violência ou a defesa de discursos de ódio, recebem nota zero nessa competência. Em geral, uma boa proposta de intervenção é a mais detalhada possível, você deve indicar quem deve executar a proposta, como aplicar e quais seus efeitos.

Em resumo, não se desespere! Fique sabendo que não existe segredo e nem uma fórmula mágica para fazer uma boa redação. A melhor maneira de se dar bem na redação do enem é praticando. Portanto, nossa sugestão é que você procure pelos temas cobrados em edições anteriores e escreva textos sobre eles, no mesmo formato que será exigido no dia do exame.

Temas de redação do Enem

Veja a seguir os temas das redações do Enem desde a primeira edição da prova:

  • 1998: Viver e Aprender
  • 1999: Cidadania e participação social
  • 2000: Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional?
  • 2001: Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar os interesses em conflito?
  • 2002: O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais de que o Brasil necessita?
  • 2003: A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo?
  • 2004: Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação?
  • 2005: O trabalho infantil na realidade brasileira
  • 2006: O poder de transformação da leitura
  • 2007: O desafio de se conviver com a diferença
  • 2008: Máquina de chuva da Amazônia
  • 2009: O indivíduo frente à ética nacional
  • 2010: O trabalho na construção da dignidade humana
  • 2011: Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado
  • 2012: Movimento imigratório para o Brasil no século 21
  • 2013: Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil
  • 2014: Publicidade infantil em questão no Brasil
  • 2015: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira
  • 2016 – 1ª aplicação: Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil
  • 2016 – 2ª aplicação: Caminhos para combater o racismo no Brasil
  • 2017: Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil
  • 2018: Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet
  • 2019: Democratização do acesso ao cinema no Brasil
  • 2020: O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira

Deixe seu Comentário