Quem pode fazer Neuropsicopedagogia?

A Pós-Graduação em Neuropsicopedagogia tem sido muito buscada por profissionais que desejam crescer profissionalmente, e certamente é uma das que mais tem conquistado matrículas quando se trata da área de educação. Sabendo disso, preparamos esta postagem especial, na qual não apenas contaremos um pouco mais sobre o segmento, como também responderemos a pergunta que dá título ao artigo, ou seja, quem pode fazê-la.

Bom, antes de qualquer coisa é importante saber que Neuropsicopedagogia é a ciência que procura relacionar os estudos das neurociências com os conhecimentos da psicologia cognitiva e da pedagogia. Em resumo, ela é uma ciência transdisciplinar que estuda a relação entre o funcionamento do sistema nervoso e a aprendizagem.

O que faz um Neuropsicopedagogo?

Antes de falar o que efetivamente faz esse profissional, é importante ressaltar que a Sociedade Brasileira de Neuropsicopedagogia (SBNPp) estabelece que ela pode ser dividida em 3 áreas de atuação: institucional, clínica e hospitalar.

Então, se você tem interesse em atuar nesse nicho, precisará escolher por uma dessas três áreas. E será explicando cada uma delas que ao mesmo tempo responderemos o que faz um Neuropsicopedagogo. Confira!

Neuropsicopedagogia Institucional

A Neuropsicopedagogia Institucional é certamente a mais buscada, entre as três citadas, por quem quer seguir nessa profissão. O profissional que tem essa especialização, pode atuar em instituições de ensino, sejam elas de ensino básico ou superior.

Portanto, podemos dizer que a Neuropsicopedagogia Institucional se trata de uma ciência, ou neurociência, que estuda o sistema nervoso focando no processo de aprendizado dos alunos. Seu objetivo é levar o aluno à reintegração pessoal, educacional e social, com a identificação, diagnóstico, reabilitação e prevenção dos distúrbios da aprendizagem e dificuldades.

Também é importante ressaltar que esse profissional, no caso chamado de Neuropsicopedagogo Institucional, é essencial dentro de todas as instituições de ensino pois utiliza das técnicas necessárias para tornar o processo de aprendizado mais eficiente para os alunos e, com isso, seu trabalho consegue diminuir a evasão escolar.

Neuropsicopedagogia Clínica

A Neuropsicopedagogia Clínica está em segundo lugar dentre as mais buscadas, e nela são realizados atendimentos individuais em consultório particular ou clínicas, Centros de Referência de Atendimento Social ou em postos de saúde, onde o profissional se ocupa de buscar as soluções e realizar tratamentos para pessoas com dificuldades cognitivas, visando a facilitação e melhoria do processo de aprendizagem e comunicação.

Neuropsicopedagogia Hospitalar

E por fim, mas não menos importante, o Neuropsicopedagogo Hospitalar é o profissional habilitado para atuar em ambulatórios, hospitais, unidades de internação e outras instituições da saúde, principalmente planejando intervenções e programas terapêuticos para reabilitação cognitiva, em casos de pessoas com Alzheimer, que sofreram Acidente Vascular Cerebral (AVC), entre outros.

Bom, explicadas as áreas e as atribuições que os profissionais têm em cada uma, é necessário ressaltar, mesmo sendo algo bastante claro, que para se tornar um Neuropsicopedagogo é preciso ser diplomado em um curso de pós-graduação específico. E é exatamente sobre isso que falaremos a seguir…

Pós-Graduação em Neuropsicopedagogia

O curso de Pós-Graduação em Neuropsicopedagogia tem o objetivo de promover a capacitação completa dos profissionais, ensinando como aplicar os principais conceitos da área. Aqui, vamos focar na área da Neuropsicopedagogia Institucional, que é o mais buscado, ou seja, o que mais concentra novas matrículas.

A especialização em Neuropsicopedagogia possibilita que os futuro profissionais atuem em contextos educacionais, mediante a obtenção de conhecimentos da Psicopedagogia, Neurologia, Psicologia Cognitiva e Pedagógica, tornando-os aptos para o trabalho com as dificuldades de aprendizagem dos alunos atendidos.

A Pós-Graduação em Neuropsicopedagogia EAD (que é a metodologia preferida por novos alunos nos últimos anos) tem uma carga horária total de 600 horas, sendo 75 horas para cada uma das oito disciplinas que compõem o curso. São elas:

  • Novos Paradigmas Educacionais
  • Novos Caminhos para Profissionais da Educação
  • Psicologia do Desenvolvimento
  • Fundamentos da Psicopedagogia
  • Transtornos e Dificuldades de Aprendizagem
  • Neurociência e Linguagem
  • A Neuropsicopedagogia e o Processo de Aprendizagem
  • Teoria e Prática da Neuropsicopedagogia

Quem pode fazer uma pós em Neuropsicopedagogia

Pronto, finalmente vamos responder a pergunta que dá título a este texto, afinal de contas, quem pode fazer a pós em Neuropsicopedagogia? Bom, como você já pôde constatar, o curso é mais voltado para profissionais que já possuem uma graduação na área da educação ou da saúde, podendo ser pedagogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, isso para citar apenas alguns dos que mais costumam buscar a especialização para agregar em suas carreiras.

Por que escolher a Pós-Graduação em Neuropsicopedagogia EAD?

Bom, quando falamos a respeito da grade curricular do curso, mencionamos que a modalidade que mais tem sido escolhida por novos alunos que se matriculam na Pós-Graduação em Neuropsicopedagogia é o EAD. Mas afinal de contas, por que é mais vantajoso escolhê-la?

A primeira vantagem de fazer o curso de Neuropsicopedagogia a distância é que o aluno pode escolher o tempo de duração no qual pretende ou prefere concluir a pós, tendo como opções 6, 9 ou 15 meses.

Outro ponto importante que devemos destacar é em relação aos materiais ofertados aos alunos do curso de pós-graduação a distância. Com essa metodologia, o aluno é o protagonista do próprio aprendizado e pode escolher de que forma quer estudar, podendo optar ou não pelo uso de materiais impressos.

Sendo assim, é preciso que seja avaliado de qual forma há melhor absorção dos conteúdos, com livros ou videoaulas. Mas a nossa dica, pensando na qualidade do seu aprendizado, é que seja feita a união das duas formas de estudos. Tanto é que, seja nos livros impressos ou nos digitais, é possível encontrar QR Codes que, ao serem lidos, levam o aluno direto para a videoaula correspondente àquele assunto.

Por fim, é preciso destacar outro ponto importante a ser destacado em relação ao EAD: nessa modalidade apenas o ritmo de aprendizagem do aluno é o que importa. Com as aulas a distância é possível, por exemplo, acelerar um assunto que já domina, ou aprofundar os estudos de um tema no qual haja maior interesse ou no qual exista uma maior dificuldade no aprendizado. Dessa forma, o seu aproveitamento é ainda maior e, consequentemente, os seus resultados também serão.

Então é isso, esperamos que esse texto tenha sido esclarecedor e, acima de tudo, que tenha servido para alimentar ainda mais sua intenção de buscar o melhor curso de pós-graduação e tornar-se um excelente Neuropsicopedagogo.

Bons estudos!

Deixe seu Comentário