Conheça o Estudar Para ENEM Online

O blog Estudar Para ENEM Online foi criado pensando em você que já concluiu ou está para concluir o ensino médio, e irá em busca do sucesso ao fazer o Exame Nacional do Ensino Médio. Aqui iremos sempre te informar sobre tudo o que é necessário saber a respeito dessa tão importante etapa. Contaremos a história do ENEM, não te deixaremos esquecer de datas importantes, mostraremos como realizar a inscrição, e claro, daremos dicas fundamentais para que alcance a maior pontuação possível, aquela que abrirá as portas de qualquer universidade.

Além do ENEM, por aqui também falaremos sobre ENCCEJA, o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, que deve ser feito por aqueles que não concluíram o ensino fundamental ou o ensino superior dentro da idade adequada, e agora buscam uma maneira de conquistar o sonhado certificado de conclusão. Traremos ainda notícias a respeito do Prouni, do FIES, do SISU, enfim, absolutamente tudo o que deve ser do conhecimento de quem quer iniciar a caminhada rumo ao diploma de nível superior.

Vamos lá então? Começando, obviamente, com o carro-chefe desta página, aquele que sem o qual nenhum dos outros temas aqui citados terá importância, aquele que será o marco da mudança do estudante do ensino médio para o futuro profissional graduado e diplomado: o Exame Nacional do Ensino Médio ou, como é conhecido por 10 em cada 10 alunos, ENEM.

ENEM

Exame nacional do ensino médio

Já disse antes, mas é importante deixar cada vez mais fixado em sua cabeça, pois fará parte praticamente integral dos próximos meses de sua vida, ENEM é a sigla que representa o Exame Nacional do Ensino Médio. Criado pelo Ministério da Educação (MEC) em 1998, é reconhecido como o mais importante, e mais, o maior exame educacional do país. Originalmente tinha como objetivo principal avaliar o desempenho dos estudantes do ensino médio, e também o domínio das competências adquiridas.

Porém, em 2014 a pontuação do ENEM tornou-se ainda mais importante, mais fundamental, na vida dos estudantes, já que passou a ser usada por inúmeras faculdades públicas e particulares, como uma espécie de substituta do vestibular. Então, mais uma vez fica comprovado o tamanho da seriedade que ter um bom desempenho nesse exame representa, afinal de contas, dele pode depender a entrada ou não em uma universidade e, consequentemente, o início da busca pela graduação.

E não ficamos apenas na substituição do vestibular, tem mais… Um bom desempenho no ENEM pode significar também a conquista de bolsas de estudo parciais ou quem sabe até integrais, em faculdades particulares, através do Prouni, o Programa Universidade Para Todos, ou ainda auxiliar para a obtenção de um financiamento oferecido pelo governo federal, nesse caso podemos citar o Fundo de Financiamento Estudantil, o FIES, que é o mais conhecido entre os que se propõem a isso.

Bom, vamos deixar para falar mais a respeito de bolsas e financiamentos daqui a pouco. Voltemos a focar no ENEM. Agora é o momento de saber como exatamente é realizada a inscrição, sem a qual, obviamente, não é possível realizá-lo.

A não ser que ocorram situações atípicas e inesperadas, o edital do Exame Nacional do Ensino Médio costuma ser divulgado e publicado no mês de março, e as inscrições tendem a ser abertas cerca de dois meses após, em maio. Para inscrever-se é preciso acessar, dentro do prazo informado no cronograma (e que sempre informaremos aqui também), o site do Inep, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, onde deverá cadastrar um endereço de e-mail e uma senha, com os quais poderá acessar o sistema no qual confirmará a inscrição, visualizará o cartão de inscrito, verificará o local de prova e ensalamento, tão logo seja divulgados, e não menos importante, consultará os gabaritos oficiais e os resultados finais assim que forem disponibilizados.

Ainda nesse cadastro, é necessário inserir nome completo, informações acerca de endereço e telefone de contato, se precisará de algum atendimento especial nos dois dias, e claro, selecionar a cidade de preferência na qual quer fazer as provas. É também nesse momento em que será definida a língua estrangeira cobrada no seu exame, lembrando que é possível escolher entre espanhol e inglês.

Inscrição concluída? Calma, ainda não! É necessário ainda gerar o GRU – Guia de Recolhimento da União, uma espécie de boleto, que pode ser pago em qualquer agência bancária, no internet banking, na casa lotérica mais próxima e até em uma agência dos Correios. Agora sim, se efetuou o pagamento dentro da data de vencimento, sua participação no ENEM está confirmadíssima!

Agora, se você não tem condições de arcar com o valor da taxa de inscrição, fique tranquilo, fique tranquila, nem tudo está perdido. No próprio site do Inep há uma lista com as situações nas quais, caso esteja inserido, isentam do pagamento, permitindo assim que se inscreva de forma gratuita.

Lembrando que pode se inscrever no ENEM quem concluiu ou está no último ano do ensino médio. Se não é o seu caso, ou seja, se você ainda está no 1º ou no 2º ano, isso não quer dizer que não poderá fazer o exame. É possível sim participar, porém, apenas como treineiro, onde no caso a pontuação conquistada não dará direito a qualquer benefício, como o próprio nome deixa claro, servirá apenas como um treinamento.

Agora vamos às provas! As aplicações acontecem em dois domingos seguidos, repetindo o que dissemos ao falar sobre as inscrições, a não ser que ocorra algum motivo de força maior, sempre no mês de novembro. Atualmente são duas as versões disponíveis para escolha (que deve ser feita também ao se inscrever): a tradicional versão impressa e a versão digital.

Bom, a impressa você certamente já está cansado de conhecer e de fazer, deixe então falarmos sobre o que é novidade, o ENEM Digital. Até 2025 ela seguirá

sendo aplicada em conjunto com a versão impressa, mas de 2026 em diante será exclusiva, ou seja, 100% dos inscritos farão a avaliação digitalmente. A principal, e mais óbvia diferença, é que ao invés de papel e caneta, serão utilizados computador e mouse. Nesse caso a aplicação das provas ocorrerá em laboratórios de informática de universidades. De resto, é tudo exatamente a mesma coisa, inclusive a estrutura do exame.

O primeiro domingo reserva ao examinados prova nas quais têm que responder sobre as áreas do conhecimento de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias, além de produzirem uma Redação cuja pontuação total é de 1.000 pontos. Isso mesmo, sua Redação vale mil pontos e, acredite, essa pontuação pode e vai fazer diferença no resultado final.

Já no segundo domingo os candidatos precisão responder questões referentes às áreas do conhecimento de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, e Matemática e suas Tecnologias. Como nesse segundo dia não há necessidade de ser produzido um texto, os inscritos terão meia hora a menos de prova, no caso, cinco horas, enquanto no primeiro dia são ao todo cinco horas e meia.

Cada uma das provas terá 90 questões divididas entre as áreas do conhecimento citadas, totalizando então 180 questões. Mas quais disciplinas estão inseridas dentro de cada uma dessas áreas do conhecimento? A gente te fala agora…

Em Ciências Humanas e sua Tecnologias estão as disciplinas de Filosofia, Geografia, História e Sociologia. Nas Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, será necessário responder questões de Artes, Educação Física, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Língua Portuguesa, Literatura e Tecnologias da Informação e Comunicação. Em Matemática e suas Tecnologias, o foco é exclusivo na Matemática. E finalmente, em Ciências da Natureza e suas Tecnologias, a abordagem é em cima das disciplinas de Biologia, Física e Química.

Já a Redação, na qual, vale a pena repetir, mil pontos estão em jogo, costuma ter como tema atualidades que geraram repercussão no Brasil ou no mundo. Portanto, estar sempre muito bem informado é fundamental para buscar essa pontuação milenar. Sim, é possível conseguir os 1.000 pontos, só depende de você, então informação, foco, e claro, muito treino, são fundamentais.

Enfim, essa foi apenas uma pequena pincelada em meio a um universo tão vasto como é o ENEM, e todos os demais detalhes você sempre encontrará aqui. Nosso propósito, como dito anteriormente, é o de te deixar o mais informado possível, de modo que esse desafio seja superado de modo tranquilo e eficiente.

ENCCEJA

Exame nacional para certificação de competências de jovens e adultos

Desde 2002 o ENCCEJA, Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, tem avaliado as habilidades e os conhecimentos de quem, independentemente de por qual motivo, não pôde concluir o ensino fundamental ou o ensino médio ainda naquela que é considerada a idade adequada, ou seja, 15 e 18 anos, respectivamente.

Ao contrário do ENEM, para participar do ENCCEJA não é necessário pagar uma taxa de inscrição. E nele podem se inscrever pessoas que moram no Brasil ou no exterior, inclusive aquelas que estão privados da liberdade. Esse exame é o modo mais simples e rápido de se obter o sonhado certificado de conclusão dos estudos que, certamente, será fundamental na busca por melhores oportunidades junto ao mercado de trabalho, e claro, no ingresso em um curso de nível superior.

O ENCCEJA também é realizado pelo Inep, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, mas quem emite os certificados e a Declaração de Proficiência são as Secretarias Estaduais de Educação e os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia.

O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos tem quatro situações distintas, consequentemente quatro editais e cronogramas também diferentes. No ENCCEJA Nacional são avaliados os inscritos residentes no Brasil, no ENCCEJA Nacional PPL, também são avaliados os que residem em território brasileiro, porém, que estão privados de liberdade ou em cumprimento de medidas socioeducativas, o ENCCEJA Exterior é a avaliação para os brasileiros que residem, como diz o nome, fora do Brasil, e por fim, o ENCCEJA Exterior PPL, avalia os brasileiros residentes em outro país e que estão privados de liberdade ou cumprindo medidas socioeducativas.

Porém, mesmo que existam essas quatro situações distintas, ainda assim as provas são iguais em todos os casos. A única diferença na estrutura fica em relação a avaliação ser para conclusão do nível fundamental ou do nível médio.

No primeiro cenário, ou seja, para aqueles que buscam certificado do ensino fundamental, a prova cobrará questões de Artes, Ciências Naturais, Educação Física, Geografia, História, Língua Estrangeira Moderna, Língua Portuguesa e Matemática.

Enquanto os que visam finalmente conquistar o documento de conclusão do ensino médio serão avaliados de maneira semelhante ao ENEM, já que as provas também trarão questões divididas por áreas do conhecimento, ou seja, os examinados precisarão mostrar conhecimento acerca de Matemática e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; e Linguagens, Códigos e suas Tecnologias.

Em ambos os casos o exame é constituído de quatro provas objetivas, cada uma delas com 30 questões, perfazendo então ao todo 120 questões a serem respondidas. Há ainda uma Redação que precisa ser produzida, cujo valor é de 10 pontos, tendo como estrutura prosa dissertativa-argumentativa. Os temas escolhidos costumam ter ligação com áreas como a científica, a cultural, a política ou a social.

Serão considerados aprovados, ou seja, conquistarão seus certificados de conclusão, aqueles que obtiverem um mínimo de 100 pontos em cada uma das áreas citadas, e também nota igual ou maior que cinco na Redação. Agora, caso aconteça de não assegurar essa pontuação em alguma das áreas do

conhecimento, não se preocupe, no ano seguinte não será preciso fazer o exame na totalidade novamente. Será recebido um certificado parcial e, na próxima oportunidade, a avaliação será apenas naquela área onde o objetivo não foi alcançado na tentativa anterior.

PROUNI

Programa Universidade para todos

Você certamente já ouviu falar no Prouni, o Programa Universidade Para Todos, certo? Afirmamos isso pois ele com certeza já esteve entre suas pesquisas na busca por um dos meios de garantir uma bolsa em faculdade particular. Pois bem, o programa foi criado em 2004 pelo governo federal exatamente com esse objetivo, auxiliar os estudantes que não conseguiram vaga nas universidades públicas a poderem iniciar ou concluir seus estudos de nível superior. A bolsa concedida pode ser parcial, no caso cobrindo 50% do valor das mensalidades, ou integral, onde todo o valor é coberto. E o melhor, quem garante uma dessas bolsas não precisa devolver nem um centavo sequer ao término dos estudos.

Para tanto, só pode concorrer ao benefício quem tiver pontuação igual ou maior a 450, somando provas objetivas e Redação. Ah, um detalhe importante, se a nota da Redação for zero, automaticamente perde-se o direito ao Prouni.

Mas ainda há outros requisitos, como ter renda de até um salário-mínimo e meio por familiar para quem quer uma bolsa integral, ou de até três salários-mínimos para quem busca uma bolsa parcial; ter cursado o ensino médio em sua totalidade numa escola pública ou ter feito isso em instituição de ensino particular, mas com o benefício de uma bolsa de 100%; ser portador de deficiência física; ou, finalmente, ser professor da rede pública de ensino, estando no efetivo exercício do magistério da educação básica. Atende a pelo menos um desses requisitos? Então você pode seguir em frente e realizar sua inscrição.

Inscrição essa que é gratuita e feita apenas no site do Prouni, mediante preenchimento de uma série de dados solicitados. Fique atento pois é também nesse momento que devem ser escolhidas, em ordem de preferência, duas opções de cursos, instituição de ensino superior e turno. Uma vez concluído esse passo, o sistema do Programa Universidade Para Todos calcula a nota de corte de cada curso, confronta com a sua pontuação e, com base no número de bolsas disponibilizadas por aquelas instituições que você escolheu, mostra se você conseguiu ou não ser beneficiado.

FIES

Financiamento estudantil

Agora vamos falar de mais uma forma de conseguir ajuda para pagar as mensalidades em uma faculdade particular. Trata-se do FIES, o Fundo de Financiamento Estudantil, criado pelo MEC para que os alunos que não têm condições de arcar com os valores, consigam um financiamento, ou em outras palavras, um empréstimo para dar início ou continuidade aos estudos. Porém, ao contrário do que acontece com o Prouni, os valores deverão ser devolvidos após a formação, com uma pequena taxa de juros.

A candidatura se dá, agora sim a exemplo do Prouni, por quem obteve pontuação de pelo menos 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio, somando-se as provas objetivas e a Redação, desde que esta não seja zerada. Além disso, outros critério é a comprovação de renda familiar que não ultrapasse os três salários-mínimos ou de até cinco salários no caso do P-Fies.

Fique atento ao cronograma no site para não perder o prazo de inscrição, que costuma ser aberto no início de cada semestre letivo. Entre as etapas que compõem o processo até que seja concedido ou não o financiamento estão o preenchimento das informações pessoais, a validação dessas informações pela Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento, e a contratação do banco que irá ficar responsável pelo financiamento, e claro, com o qual você precisará amortizar o valor ao fim da graduação.

SISU

Sistema de Seleção Unificada

E por fim, mas não menos importante, há ainda o Sistema de Seleção Unificada, ou simplesmente SISU, que, ao contrário dos dois citados acima, tem por objetivo oferecer vagas em universidades públicas, mais uma vez, apenas para aqueles que fizeram o ENEM. Só que no caso do SISU, a obtenção das vagas se dá de maneira muito mais simples e rápida, sendo sempre beneficiado quem tem maior pontuação no Exame.

No momento da inscrição, que precisa ser realizada no site do próprio Sistema de Seleção, é necessário escolher no máximo duas opções de cursos. Nesse mesmo momento, em tempo real, verifica-se a quantidade de vagas disponibilizadas para os cursos que você tem interesse, de acordo, claro, com a cidade na qual você pretende estudar e na instituição da sua escolha. Se as opções selecionadas têm uma quantidade boa de vagas disponíveis e você acredita que sua pontuação no ENEM seja suficientemente capaz de te conceder uma delas, é só confirmar e aguardar pela conferência das notas de corte e, posteriormente, a divulgação da sua classificação.

FACULDADES

Se um dos passos que você viu até agora deu certo, finalmente chegamos ao último degrau, ao último estágio, o ingresso em uma faculdade ou universidade. Falaremos muito sobre isso também aqui no blog, sempre te deixando por dentro dos cursos mais buscados, das principais instituições de ensino superior a distância. Resumindo, te deixaremos por dentro de cada detalhe do que é preciso para assegurar seu diploma.

Mas por que a distância, você deve estar se perguntando. Bom, porque nós queremos que tudo seja o mais tranquilo e simples possível para você. Da mesma forma que é possível ter preparação para o ENEM de forma totalmente EAD, através de videoaulas, também é possível se graduar na mesma modalidade. Assim, seja para quem irá fazer o ENEM ou para quem já o fez e agora utilizará a pontuação para começar um curso superior, não haverá necessidade de estar preso a horários fixos ou de locomoção até um ambiente de estudo físico, ou uma sala de aula, se preferir.

Quem escolhe quando, como e onde estudar é o aluno. É muita vantagem! Ainda mais nos dias de hoje, onde muitos não têm o privilégio de poderem se dedicar apenas aos estudos, tendo que conciliá-lo com um trabalho.

Você viu que no parágrafo acima citamos “como estudar”, certo? Sim, isso é o aluno que escolhe também, uma vez que existe a possibilidade de fazê-lo com materiais físicos, compostos por livros impressos e videoaulas em DVD’s. Opção mais adequada a quem prefere estudar mais à moda antiga, sem depender de internet. Ou ainda, para quem ao contrário, faz questão de estar sempre conectado, esses mesmos materiais didáticos são disponibilizados em suas versões digitais, no AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem).

Aqui, garantimos, você saberá como escolher a melhor instituição EAD, como conferir se ela atende aos requisitos exigidos pelo Ministério da Educação, se os materiais por ela oferecidos são realmente de qualidade, quais os melhores cursos, enfim. Você estará sempre muito bem amparado com informações fundamentais.

Esse é o “Estudar Para ENEM Online”, especialmente pensado para te ajudar desde o começo da caminhada onde irá alcançar a melhor pontuação possível no ENEM, até o glorioso desfecho, onde terá em mãos o sonhado diploma de nível superior e certamente se tornará um dos grandes destaques profissionais da área.

Deixe seu Comentário